O SEGREDO DA VITÓRIA EM CRISTO


"Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos". Salmos 37:3-7

INTRODUÇÃO

FAÇA TEOLOGIA CONOSCO

Confira Alguns de Nossos Cursos

Básico em Teologia

Médio em Teologia

Avançado em Teologia

As pessoas estão sempre em busca de respostas para os vários problemas e indagações da vida. Uma delas, e não menos intrigante é “qual o segredo para o sucesso na vida”? Para um cristão a resposta parece ser bem simples “Jesus”. Jesus é o segredo para obtermos vitória na área espiritual e em todas as demais áreas da vida. Jesus é o segredo para vencermos a nós mesmos e consequentemente o pecado que tão de perto nos rodeia e parece nos dominar; Jesus é o segredo para a prosperidade em todas as áreas da vida. Jesus é o segredo para nos livrarmos daqueles sentimentos que causam em nós tantos males como o ódio, o rancor, a ira, a raiva, a inveja, o ciúmes, as ansiedades, os medos, as apreensões, etc. Enfim, Jesus é a resposta para todos os nossos problemas. Quanto maior nosso grau de comunhão e intimidade com o Mestre dos mestres, maior a nossa possibilidade de conquista, vitória e sucesso.

No entanto, apesar de ser simples nossa conclusão a respeito da solução dos nossos problemas, na prática, tudo parece ser bem diferente. Isso significa que, apesar de sermos servos de Cristo e

DESENVOLVENDO NOSSA INTIMIDADE COM DEUS

No Salmo 37, principalmente os 6 primeiros versículos, o salmista procura apresentar de forma bem sintética e prática os meios para que o homem que teme a Deus possa desfrutar da plenitude de Deus em todos os aspectos, bem como fugir do caminho da ociosidade pelo qual os homens são levados a invejar o homem ímpio em sua prosperidade. A aparente prosperidade humana nem sempre é visto como um sinal de benção diante de Deus. A prosperidade material é uma ambição de toda homem, pelo menos aqueles pertencentes a uma cultura capitalista como a nossa. Há uma constante busca por status social, fama, prosperidade financeira. Isso faz com que as pessoas se desgastam mais no trabalho, nas disputas por melhores empregos, e maior qualificação profissional. Isso tudo gera grande ansiedade, stress, fadiga, litígios, roubando a paz e a tranquilidade do coração, o que resulta em uma qualidade de vida péssima, o contrário daquilo que se esperava. Isso cria um círculo vicioso sem fim, passando tudo a girar em torno de ambições e expectativas cada vez maiores e mais ilusórios. Ao final de tudo, o que sobra é apenas uma vida sobrecarregada e entediada, frustações e decepções profundas. Portanto, Deus é nossa maior realização. Nele encontramos o perfeito e mais completo sentido da vida. Nas palavras introdutórias do Salmista encontramos o segredo para sermos verdadeiramente prósperos e felizes nessa vida.

“Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado” (Salmos 37:3).

A confiança é uma virtude rara na atualidade. Não é porque as pessoas estão mais desconfiadas, mas, porque as pessoas estão cada vez mais infiéis e irresponsáveis.

Não confiamos em alguém simplesmente porque decidimos confiar. Confiamos em pessoas que inspiram nossa confiança. Não podemos confiar em quem não conhecemos, mas em quem sabemos que é digno de nossa confiança. Podemos deixar de confiar em alguém simplesmente porque não o conhecemos, mas podemos deixar de confiar em alguém justamente pelo fato de o conhecermos bem. Isso sugere um certo relacionamento ou contato pessoal, ou pelo menos um levantamento prévio da vida de alguém, e concluímos com base nos resultados se alguém merece ou não nossa confiança. O “Senhor” merece nossa confiança, porque Ele é o “Senhor”, o mais Justo e Bondoso, o Deus fiel e Benigno, o Deus que deseja sempre o nosso bem.

Um apelo para confiar no Senhor é primeiramente um apelo para o conhecermos e provarmos da sua bondade e amor. Deus age como um Deus provedor na vida daqueles que confiam nele. A expressão “habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado”, sugere o cuidado e a providencia de Deus na vida daqueles que confiam nele. Não nos faltará nada se confiamos no Senhor (Sl 25.1).

“Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração” (Salmos 37:4).

“Deleitar-se” significa “ter prazer”, “encontrar a plena satisfação em Deus”, e “plena realização”. Significa reconhecer a Deus como a fonte da nossa total realização. Se em Deus eu encontro minha plena satisfação, não haverá então, lugar para a ociosidade, nem tão pouco, tempo e disposição para alimentar ambições nocivas, “Tenho desejado a tua salvação, ó Senhor; a tua lei é todo o meu prazer” (Sl 119.174). O sentimento de plena satisfação em Deus funciona como um princípio balanceador e de contenção, criando em nós um alto nível de satisfação e contentamento em Deus e sua vontade “Mas é grande ganho a piedade com contentamento” (1 Tm 6.6); “Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos” (Romanos 12:16).

O sentimento de “contentamento” pode, às vezes, se manifestar em sentido repressivo, mas quando associado ao sentimento de “satisfação”, torna-se um deleitosa atividade, é isso que o salmista pretende enfatizar. Em Cristo está a nossa Plena Satisfação.

A PESPECTIVA HUMANA E A PESPECTIVA DIVINA

O sentimento de satisfação é gerado em nós através das mudanças internas operadas por Cristo, que tem como resultado nossa mudança de perspectiva. Se há mudança de perspectiva, há automaticamente mudanças de atitudes, de valores, de princípios, de prioridades, etc. Deus opera em nós uma nova cosmovisão “visão de mundo”, que nos permite vivenciar novas expectativas.

Tiago tratando sobre a opressão imposta pelos ricos sobre os pobres escreve:

“De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis” (Tiago 4:1,2).

A ambição humana é um mal inerente a sua natureza pecaminosa, mas é alimentada ou fomentada pelo contexto social que vivemos. O desenfreado desejo em ter, ser, possuir, comprar, consumir, etc. é alimentado constantemente pelos caprichos de nossa sociedade capitalista hedonista e antropocêntrica. Isso, como já mencionamos, gera inquietação, incentiva as disputas e os litígios, bem como a competição por melhores posições no meio social. Isso acaba causando um desgaste crônico, pois movido pela a ambição e cobiça, as pessoas tendem a trabalhar mais, dormir menos, serem mais agressivas, egoístas, e menos sensíveis as necessidades alheias. Isso sem contar a carga de stress, fatiga, ansiedade que se acrescenta a cada dia a máquina humana, gerando todos os tipos doenças e transtornos psíquicos como a depressão e as síndromes.

Um mundo globalizado exige profissionais cada dia mais qualificados, isso fala de uma mente cada dia mais sobrecarregada de informações. A partir deste quadro surgem a maioria dos males deste mundo. No final das contas as pessoas estão lutando por nada, pois quando a doença e a morte chegam, não nos resta muita coisa. Sem contar que tudo isso constitui uma das principais causas do envelhecimento e da morte precoce. Isso é, nas disputas por riquezas, fama, sucesso, as pessoas acabam se destruído e destruindo também os outros (1 Tm 6.9). Tudo isso pode ser resolvido se decidimos confiar no Senhor, e nos deleitarmos plenamente Nele.

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará (Salmos 37:5).

Nosso caminho é a nossa vida ou a nossa direção. Entregar nosso caminho ao Senhor significa confiar a ele toda os nossas desejos, projetos, sonhos, e a totalidade de nosso ser. Às vezes perdemos o caminho e as vezes nos perdemos no caminho. Mas quando entregamos o nosso caminho a Deus somos guiados e conduzidos por todo o Caminho verdadeiro e perfeito de Deus. Este caminho é Jesus (Jo 14.6).

A Bíblia nos fala de caminhos que homem sem Deus pode tomar e que trazem como consequência a morte (Pv 14.12) e fala do caminho perfeito que nos conduz a presença de Deus, Cristo (Jo 14.6), mas, fala também de que devemos estregar a ele o nosso caminho. A consequência é que ele estabelecerá um novo caminho por onde podemos andar com segurança. Como nosso Deus é um Deus provedor. Ele simplesmente não se esquece de nenhum detalhe. Aleluia!

“Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos” (Salmos 37:7).

Descansar no Senhor é o mesmo que “deixar em suas mãos”, ou simplesmente “acreditar que ele fará”. Se Deus nos exorta em sua palavra a descansarmos Nele, então o Senhor é uma fonte inesgotável de “proteção, quietude, paz, serenidade, cuidado, e tudo quanto se pode descrever em termos positivos. Quando descansamos no Senhor não há espaço para as preocupações e ansiedades, não há apreensões pelo futuro e nem o inquietante desejo de ter, possuir, consumir, ser.

CONCLUSÃO

Quando Deus se apropria de nossas vidas por completo ele muda totalmente nossa visão de mundo, uma nova visão de mundo implica em novos princípios e valores, portanto em novas expectativas baseadas na cosmovisão divina.